Tapas

Tapas

Você conhece os “tapas”? Há um tempo atrás viajamos à Espanha e ficamos curiosos para saber porque havia uma placa em frente a quase todos os restaurantes dizendo que tinham tapas. Eu queria muito saber: que prato seria esse que vende em todo lugar? Seria no mínimo estranho que todos os restaurantes vendessem a mesma coisa, não acha?

Aí comecei a olhar nos cardápios que ficam nas portas dos restaurantes e percebi que cada um tinha um menu de tapas diferente dos demais, ou seja, percebi que tapas não era um nome dados a um prato específico. Além disso, percebi que de noite esses restaurantes lotavam de pessoas que comiam os benditos tapas, acompanhados de vinho ou cerveja.

Achei isso bacana e então recorri à internet, e aí sim entendi os tapas! Realmente não se trata de um prato específico, e sim de pequenos pratos que formam uma refeição. Seriam petistcos, simplesmente isso! Confesso que fiquei um pouco decepcionada porque pensava que estava prestes a descobrir um prato novo e em vez disso descobri “apenas” petiscos. Apesar disso, achei bacana a apresentação dos tapas, achei interessante que geralmente o cliente que escolhia os petiscos e montava seu prato. Já em outros lugares, a pessoa só pedia o prato de tapas do dia por exemplo, e recebia uma combinação definida pelo chef.

Esses petiscos podiam ser de qualquer tipo: fatias de pães com patezinhos ou qualquer outra coisa por cima, potinhos com azeitonas, batatinhas assadas, algum tipo de salgado frito bem pequeno, micro sanduíches frios ou quentes, enfim qualquer coisa mesmo, e elas vinham todas separadinhas em pratinhos ou potinhos pequenos. Achei bonitinho mas não dei a devida importância na época.

Depois disso voltamos para casa, a viagem acabou, rotina voltando ao normal, então vamos lá… Em um dia qualquer eis que me deparo com a seguinte situação:

– Queria comer algo gostoso de noite, olhei na geladeira e não tinha muita coisa… tinha um pouco de polenta que sobrou do almoço, um pouco de molho também em um potinho separado, uns cogumelos e eu havia cozinhado feijão. O que fazer com esses ingredientes? Não consegui pensar em um prato usando isso porque eu já havia comido polenta cremosa com molho no almoço e não queria isso para a janta (para mim não é um problema comer a mesma coisa no almoço e na janta, mas esse dia eu não estava a fim).

Depois de pensar um pouco, logo me lembrei dos tapas!!! Eu poderia comer as coisas que tinha separadamente, não precisava criar um prato com aqueles ingredientes. Em vez de comer a polenta cremosa, eu poderia fritar, em vez de comer o molho por cima da polenta eu poderia colocar em um potinho separado e ir molhando a polenta nele, em vez de inventar um prato com cogumelos eu poderia simplesmente salteá-los e colocar em um outro potinho… e o feijão que parece que não tem nada a ver com nada aqui? Fácil! Coloco em um outro potinho pequeno também e como separado com farofa, ou puro mesmo como se fosse uma sopinha de entrada.

Foi aí que comecei a amar essa idéia de petiscos dos nossos amigos espanhois! Depois desse dia fiz tapas para a janta diversas vezes, sempre com ingredientes diferentes, dá para usar o que tiver em casa, mesmo que os ingredientes não combinem entre si. Com esse conceito você consegue fazer jantas rápidas, aproveitar ingredientes que tem em casa e fazer uma comidinha descompromissada, e que combina com quase todos os momentos.

Antes quando eu pensava em petiscos a ideia que tinha era de pouca comida, apenas algo provisório enquanto a refeição principal não vinha, rsrs. Agora mudei a visão que tenho deles! Descobri que petiscos podem ser o prato principal, desde que tenha uma quantidade suficientes para me deixar satisfeita (sei que é meio óbvio, mas eu não pensava assim) =)

E por onde começar? Tendo pão e algumas coisinhas aleatóreas, legumes, cogumelos, molhinhos, patezinhos, já dá para fazer alguma coisa legal e é isso que eu queria mostrar para vocês! Use a imaginação, faça tudo em pequenas quantidades, legumes grelhados, assados, coloque em uma fatia de pão, faça batata, polenta ou mandioca frita, saladinha, pegue um pouco da sopa ou molho que sobrou do dia anterior, e por aí vai. O legal é mesmo que cada elemento do prato seja algo diferente dos demais, e você vai comer um pouquinho de cada coisa. Essa é uma ideia, um conceito e não uma receita.

Vou começar a fotografar os meus próximos pratos de tapas e postar para dar umas ideias para vocês, espero que gostem =)

 

 

2 Comentários

  1. Adorei tua idéia. Comida saudável é comigo mesma. Temos que ter criatividade na cozinha. Estarei te acompanhando. Beijão!

Postar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

 
 
 
 

Acompanhe todas as novidades!